domingo, 13 de fevereiro de 2011

Tucano - Ramphastos sulfuratus

A região específica desta espécie é essencialmente a América do Sul e América Central. Os tucanos habitam florestas, tais como a Amazónica e a Atlântica. Gostam de viver em selvas tropicais e muitos deles dependem das selvas chuvosas primárias, pelo que a sua sobrevivência está ligada ao destino destas selvas. Os tucanos gostam também de habitar locais onde existam palmeiras (Imagem 1).

Imagem 1 - Tucano no seu habitat natural

Os tucanos, caracterizam-se pelos seus bicos enormes e a sua longevidade pode ir de 10 a 12 anos de idade. Quanto à reprodução, os tucanos são monogâmicos territorialistas (vivem e reproduzem-se em casal isolado). Não há dimorfismo sexual e a sexagem é feita através de DNA. A fêmea e o macho constroem o ninho em cavidades de árvore, porém, como os demais tucanos, não têm o hábito de carregar material para forrar a câmara onde põe os ovos; a própria madeira esfacelada do tronco é utilizada para tal fim. Enquanto a fêmea choca o macho alimenta-a. Na família, cada postura consiste de 2 a 4 ovos brancos, incubados pelo casal, durante cerca de 18 dias.
Os tucanos alimentam-se principalmente de frutos e pequenos vertebrados; capturam cupins em revoada ou então pousados sobre cupinzeiros arborícolas.  

Além de serem frugívoros (comerem fruta), necessitam de um certo nível proteico na dieta, o qual alcançam caçando alguns insectos, pequenas presas (como lagarto, perereca, entre outros) e mesmo ovos de outras aves. 

Esta espécie vive em pares ou em pequenos grupos (entre 5 a 10). Durante as horas de mais calor prefere refugiar-se nas zonas mais densas da floresta mostrando-se mais activo nas horas finais do dia, ao pôr-do-sol. Um dos comportamentos mais interessantes desta ave é as suas diferentes vocalizações. Por exemplo, no início da noite os bandos reúnem-se numa árvore e "cantam" em coro. Muitas das vezes, outro grupo, distante, responde a essas vocalizações. 

Os tucanos têm a zona em volta dos olhos desprovida de penas. Na sua coloração predomina o preto, com zonas de cores intensas.


O bico destas aves é muitas vezes tão grande como o seu próprio corpo, mas as suas paredes são muito finas e é bastante leve, já que o seu interior é ocupado por alvéolos de ar (Imagem 2).

Para além de distinguir a espécie, o bico dos tucanos é uma ferramenta muito prática para poderem chegar aos frutos que crescem na ponta dos ramos muito finos, que não suportariam o peso da ave. Na ponta do bico existem uns dentes como os de uma serra que impedem as frutas de escorregar entre as mandíbulas.

Têm um enorme bico formado de tecido ósseo esponjoso. Por isso, o bico é leve e não cria problemas para o seu equilíbrio. No voo ele é mantido horizontalmente, em linha com o pescoço. Quando o tucano dorme no oco de uma árvore, ele vira completamente a cabeça e descansa o bico nas costas. Não têm um bico muito forte, já que é muito comprido e a alavanca (maxilar) não é suficiente para conferir tal qualidade.

Imagem 2 - Bico de um Tucano adulto

O seu sistema digestivo é extremamente curto, o que explica a sua base alimentar, já que as frutas são facilmente digeridas e absorvidas pelo trato gastrointestinal. Possuem pés zigodáctilos (dois dedos direccionados para frente e dois para trás), típicos de animais que trepam a árvores.

O tucano pode medir de 50 a 60 cm e pesar de 580 a 750g, sendo os machos maiores que as fêmeas, o seu bico pode medir entre 15 a 20 cm (Imagem 3).

Imagem 3 - Exemplar de Tucano adulto

Observações: Espécie em perigo de extinção, devido à perda do habitat, à caça e à armadilhagem.

1 comentário: